Aposentadoria Rural – Parte 2

Como falamos anteriormente, a aposentadoria rural é destinada aqueles que a Previdência se refere como segurados especiais. São eles: lavradores, pescadores artesanais, indígenas, etc. Vamos falar hoje sobre o procedimento para trabalhadores rurais que exercem atividade em terras de terceiros. Nesse caso, terceiros incluem:  avós, tios, primos, irmãos ou pessoas sem nenhum parentesco. Antes de tudo, é preciso saber em qual situação o requerente do benefício melhor se encaixa.

Acampado:

Se encontra organizado coletivamente no campo, pleiteando sua inclusão como beneficiário dos programas de reforma agrária, desenvolvendo atividades rurais em área de terra pertencente a terceiros; utiliza-se algum documento expedido pelo INCRA ou a Declaração do Sindicato.

Assentado:

Quem, como beneficiário das ações de reforma agrária, desenvolve atividades agrícolas, pastoris ou hortifrutigranjeiras nas áreas de assentamento. Aqui poderá ser utilizado algum documento expedido pelo INCRA ou a Declaração do Sindicato.

Arrendatário:

Utiliza a terra para desenvolver atividade agrícola, pastoril ou hortifrutigranjeira, mediante pagamento de aluguel, em espécie ou in natura, ao proprietário do imóvel rural; nestes casos poderá ser apresentada a Declaração do Sindicato ou o Contrato feito com o dono da terra.

Comodatário:

Por meio de acordo, explora a terra pertencente a outra pessoa, por empréstimo gratuito, por tempo determinado ou não, para desenvolver atividade agrícola, pastoril ou hortifrutigranjeira; nestes casos poderá ser apresentada a Declaração do Sindicato ou o Contrato feito com o dono da terra.

Condômino:

Aquele que explora imóvel rural, com delimitação de área ou não, sendo a propriedade um bem comum. Nesses casos a terra pertencente a várias pessoas.

Meeiro:

Tem acordo com o proprietário e, da mesma forma, exerce atividade agrícola, pastoril ou hortifrutigranjeira, partilhando rendimentos ou custos; nestes casos poderá ser apresentada a Declaração do Sindicato ou o Contrato feito com o dono da terra.

Parceiro:

Divide poderes sobre a propriedade com o proprietário e desenvolve atividade agrícola, pastoril ou hortifrutigranjeira, partilhando lucros ou prejuízos; nestes casos poderá ser apresentada a Declaração do Sindicato ou o Contrato feito com o dono da terra.

Possuidor:

Quem exerce algum dos poderes inerentes à propriedade, utilizando e usufruindo da terra como se proprietário fosse. Neste caso, a forma eficiente para comprovação da atividade é através da Declaração do Sindicato de Trabalhadores Rurais. 

Usufrutuário:

Quem, mesmo não sendo proprietário de imóvel rural, tem direito à posse, ao uso, à administração ou à percepção dos frutos. Pode ainda usufruir o bem em pessoa ou mediante contrato de arrendamento, comodato, parceria ou meação.Nestes casos poderá ser apresentada a Declaração do Sindicato ou o Contrato feito com o dono da terra. Semana que vem terminamos de falar sobre aposentadoria rural, abordando os procedimentos para filhos casados que trabalham na terra dos pais e aposentadoria rural para herdeiros.
Tags :
Notícias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você precisa planejar, revisar ou realizar cálculos periciais para aposentadoria?

Temos uma equipe de especialistas prontos para ajudar você.

Outras Notícias

Disponibilizamos gratuitamente para você as principais notícias sobre Direito Previdenciário. Veja alguns destaques:

Aposentadoria Rural – Parte 2

Como falamos anteriormente, a aposentadoria rural é destinada aqueles que a Previdência se refere como segurados especiais. São eles: lavradores, pescadores artesanais, indígenas, etc. Vamos

Continue lendo »
×